Teste de farmácia para HIV recebe registro da Anvisa

Primeiro autoteste para HIV é registrado no Brasil.
Junho 1, 2017
Anvisa registra primeiro teste de farmácia para detecção do HIV
Junho 1, 2017
Show all

Teste de farmácia para HIV recebe registro da Anvisa

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) registrou, nesta segunda-feira (15), o primeiro autoteste para triagem do HIV no Brasil. O produto é destinado ao público em geral e poderá ser vendido em farmácias e drogarias. O nome do produto no Brasil será Action, da empresa Orangelife Comércio e Indústria.

Thaís Botelho

De acordo com a documentação do processo de registro do produto, o teste funciona com a coleta de gotas de sangue, semelhante aos testes já existentes para medição de glicose por diabéticos. O resultado aparece na forma de linhas que indicam se há ou não presença do anticorpo do vírus HIV. A presença do anticorpo mostra que a pessoa foi exposta ao vírus que provoca a Aids. O resultado leva de 15 a 20 minutos para ficar pronto. O teste funciona para os dois subtipos do vírus que provocam a Aids. Eficácia O autoteste aprovado pela Anvisa demonstrou sensibilidade e efetividade de 99,9%. Porém, o produto só é capaz de indicar a presença do HIV 30 dias depois da exposição. Esse período de um mês é o tempo que o organismo precisa para produzir anticorpos em níveis que o autoteste consegue detectar. Se uma nova situação acontecer após esse período, um novo teste precisa ser feito, respeitando o prazo necessário para detecção e as confirmações necessárias. Se o resultado for negativo, a recomendação é que o teste seja repetido 30 dias depois do primeiro teste e outra vez depois de mais 30 até completar 120 dias após a primeira exposição. Se o resultado for positivo, o paciente deve procurar um serviço de saúde para confirmação do resultado com testes laboratoriais e encaminhamento para o tratamento gratuito adequado, se for necessário. Lei mais no link...

Autoteste é capaz de detectar presença de anticorpos para o vírus até 30 dias depois da contaminação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *